domingo, 23 de dezembro de 2012

Feliz Natal!


Chegou a noite mais mágica do ano. Espero que a passem com quem mais gostam, e a comer o que mais apreciam! Aqui em casa já há pudim, bolo de chocolate em forma de pinheirinho de Natal, bolinhos de coco, e queques de Natal, feitos de chocolate com café e especiarias. Daqui a umas horas, depois de umas horas de merecido sono, haverá sonhos de cenoura e bolinhos de bolina. 
Há também presentes manufacturados, e outros que foram comprados. Há música de Natal, e há muita alegria!
Feliz Natal!

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Tronco de Natal de Chocolate


O Natal está mesmo à porta, e é tempo de começar a pensar nas coisas boas que gosto de comer nesta época. O tronco de Natal é um clássico, e já vi várias versões desta iguaria. A minha sugestão para o tronco de Natal baseia-se... no chocolate, claro! :)


Usei:


6 ovos
o mesmo peso dos ovos de açúcar
metade do peso dos ovos de farinha com fermento
Manteiga  e farinha para untar o tabuleiro
200 gr de chocolate para culinária
1 pacote de natas (usei light)
Bolinhas prateadas
Coco ralado
Bagos de romã

Fiz assim:

Comecei por bater as gemas com o açúcar, até obter um creme esbranquiçado. Depois bati as claras em castelo, e fui juntando ao creme de gemas, alternado com a farinha. Envolvi tudo muito bem, com uma colher de pau, e sem bater muito. Untei um tabuleiro rectangular com a manteiga e polvilhei de farinha. Verti o preparado para o tabuleiro, e levei a cozer, no forno pré-aquecido a 180º, até que o bolo cozesse (segui o modo tradicional, e fui espetando um palito na massa até que este saísse seco). 
Enquanto o bolo cozia, preparei o creme para o recheio e cobertura do tronco: parti o chocolate em pedaços, juntei-lhe as natas, e levei ao micro-ondas, a baixa temperatura, até derreter. 
Assim que o bolo ficou pronto, desenformei para um pano lavado e bem seco, polvilhado de açúcar. Deixei arrefecer durante uns minutos, para que o bolo não absorvesse o recheio. Depois de o creme de chocolate ter arrefecido um pouco, espalhei-o por toda a superfície do bolo. Enrolei o rolo com muito cuidado, e cobri-o com o restante creme de chocolate. Depois de arrefecer, enfeitei o tronco com coco ralado, bolinhas prateadas e bagos de romã. 






domingo, 9 de dezembro de 2012

Trifle de Natal


Fiz uma espécie de tiramisú, mas com queijo-creme em vez de mascarpone, licor de canela no lugar do vinho do Porto, e canela em pó em vez de cacau em pó. O resultado é um delicioso trifle que, em função da utilização da canela, ficou com aroma de Natal!

Usei: 

2 pacotes de biscoitos de champanhe
1 chávena de café solúvel
100 gr de chocolate preto para culinária
1 colher de sopa de manteiga
1 embalagem de queijo-creme (usei magro)
2 ovos
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de licor de canela
Canela em pó
Sprinkles de chocolate para decorar

Fiz assim:

Comecei por preparar o café, misturando o pó e água quente numa chávena de pequeno-almoço. Enquanto o café arrefecia, derreti o chocolate com a manteiga. Dei também início à preparação do creme: bati as gemas com o açúcar e com o queijo, até obter um creme. Bati as claras em castelo,  e juntei-as ao creme. Adicionei ao café o licor de canela, e mergulhei os biscoitos nesta mistura. Dispus  depois alguns dos biscoitos no fundo de uma taça, até que ficasse coberto. Depois comecei a fazer as várias camadas que compõem o doce: cobri os biscoitos com uma parte do chocolate derretido, e por cima uma camada de creme. Procedi desta forma até acabarem os ingredientes, terminando com uma camada de creme. Polvilhei tudo com canela, e enfeite com sprinkles de chocolate e uns enfeites natalícios de açúcar.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Bolachas com Pepitas de Chocolate


E chegou Dezembro, o mês do Natal. É uma das épocas do ano em que mais sinto presente a magia da vida. As pessoas tornam-se naquilo que deveriam ser durante o resto do ano: mais afáveis, mais solidárias, mais sorridentes, mais felizes. O brilho das luzes aquece-nos o coração, e a troca de afectos conforta-nos a alma. 
O meu espírito natalício também passa pela troca de presentes, mas não gosto nada do consumismo desenfreado inerente a esta época. Não sou adepta de me enfiar em centros comerciais apinhados de pessoas, para comprar qualquer coisa, sem pensar bem o quê, apenas para cumprir a missão de ter presentes para todos. Prefiro colocar o meu afecto num presente personalizado, feito por mim, e pensado em quem vai recebê-lo. Claro que também faço compras de Natal, mas opto por lojas de comércio tradicional, e por formas de comércio mais solidárias, como as lojas de Comércio Justo, ou as vendas de Natal promovidas por organizações sem fins lucrativos, como as associações de apoio a crianças, ou de protecção a animais abandonados. 
O início do mês de Dezembro marca o começo das minhas experiências culinárias, no que concerne aos presentes que quero oferecer. É que, por muito que gostasse de ter talento para trabalhos manuais, acho que só me safo mesmo com os cozinhados! :) 
Estas bolachinhas são a primeira experiência aprovada da época natalícia, e já sei exactamente a quem vou oferecê-las!

Usei:

200 gr de creme de soja para barrar
1 chávena de açúcar amarelo
2 chávenas de farinha com fermento
1 ovo
1 colher de café de essência de baunilha
100 gr de pepitas de chocolate preto

Fiz assim:

Derreti a manteiga de soja, deixei arrefecer um pouco, até que se tornasse menos líquida, e juntei-lhe o açúcar. Bati a mistura com uma vara de arames, até que o açúcar se dissolvesse na manteiga. Juntei o ovo e a essência de baunilha, e continuei a mexer com a vara de arames, até obter um creme. Depois acrescentei a farinha, aos poucos, incorporando-a no creme. Por fim, juntei as pepitas, e envolvi-as no preparado. Forrei um tabuleiro com papel vegetal, e nele dispus pequenas colheradas de massa. Levei ao forno, pré-aquecido a 180º, durante cerca de 15 minutos, até que as bolachinhas ficassem douradas.  

A parte mais complicada é esperar que as bolachas arrefeçam, para podermos "atacá-las"! :)




sábado, 24 de novembro de 2012

Panquecas "Achocolatadas"


Num dos livros de cozinha da autoria da Nigella Lawson existe uma receita de mistura seca para panquecas que costumo ter sempre armazenada num grande frasco. Guardar o preparado desta forma é muito prático, e permite-nos saciar a fome rapidamente, porque torna a preparação muito mais simples e célere.
Estas panquecas foram o pequeno-almoço de hoje, acompanhadas de uma chávena de café e uma tangerina. A diferença em relação às panquecas que faço habitualmente, é que juntei à massa um pouco de chocolate em pó, ou não pusesse eu um pouco de chocolate em tudo!... :)


Receita base:

600gr de farinha de trigo
3 colheres de sopa de fermento em pó
2 colheres de sopa de bicabornato de sódio
1 colher de chá de sal refinado
40gr de açúcar baunilhado


Ingredientes para cerca de 6 panquecas achocolatadas :

150gr da mistura para panquecas
1 colher de sobremesa de achocolatado para o leite
1 ovo
250ml de leite
1 colher de sopa de manteiga derretida
Sprinkles de chocolate para polvilhar
Açúcar amarelo para polvilhar



Modo de Preparação:

Misturar bem todos os ingredientes, excepto a manteiga, até obter uma massa lisa. Aquecer uma frigideira anti-aderente, adicionar a manteiga, e colocar 4 colheres de sopa de massa para fazer cada panqueca. Assim que começarem a aparecer bolhas à superfície das panquecas, viram-se e deixam-se cozinhar mais um minutos. Retiram-se da frigideira, polvilham-se com açúcar amarelo e sprinkles de chocolate.

Há melhor forma de começar o fim de semana?! :)

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Risotto de Abóbora Assada, Cogumelos e Espinafres


Sou uma grande fã de risottos, pela sua cremosidade e versatilidade. Adoro queijo derretido, e no risotto sabe tão bem! O meu problema em publicar receitas de risotto é apenas um: raramente tenho tempo para tirar fotos ao prato, porque olho para o queijinho derretido, e não penso em mais nada, só me ocorre devorá-lo enquanto está quentinho! :)
Este risotto ficou muito bom. Pensei em confeccioná-lo apenas com cogumelos e espinafres, mas tinha um pedaço de abóbora-menina assada que tinha sobrado e estava no frigorífico a aguardar pelo seu destino, que acabou por ser este formoso prato!


Usei:

Um pedaço de abóbora-menina assada
10 cogumelos portobello, pequenos
Folhas de espinafre
Arroz para risotto
Cebola e alho picados
Azeite
Sal, pimenta preta
1 cubo de caldo biológico de legumes desfeito em água quente
4 colheres de sopa de vinho branco
1 noz de manteiga
Queijo parmesão ralado
Nozes

Fiz assim:

Comecei por lavar bem as folhas de espinafre e os cogumelos, e cortei os cogumelos em fatias. Descasquei a cebola e o alho, piquei-os, e refoguei-os em azeite, até ficarem translúcidos. Juntei os cogumelos e os espinafres, temperei de sal, e deixei refogar durante uns 5 minutos. Adicionei o arroz, mexi bem, e juntei o vinho, até que evaporasse. Depois, segui o procedimento normal de cozedura do arroz deste cariz: fui mexendo e regando com o caldo de legumes, numa proporção do dobro do caldo em relação ao volume do arroz, durante cerca de 15 minutos. Quando o tempo de cozedura expirou, retirei o tacho do lume, adicionei a manteiga, e mexi mais uma vez. Juntei parmesão acabado de ralar, voltei a mexer, para ficar derretido, e polvilhei um pouco mais de queijo por cima, e também umas nozes partidas.
Nham! :)







terça-feira, 13 de novembro de 2012

Espirais com Cogumelos Secos, Tomate e Brócolos


Os cogumelos são um dos alimentos mais consumidos cá em casa, sejam salteados, estufados, recheados, em risotto, em sopas e cremes, com ovos mexidos, em massas, ou em frittatas. Já experimentei diversas variedades de cogumelos, e gostei de todas: simplesmente, adoro cogumelos!
Há uma espécie que consumo com frequência, os "suillus luteus", que costumo comprar secos, nas lojas de comércio justo. São cogumelos muito saborosos, "carnudos" e viciantes! Desta vez, fi-los salteados com massa, brócolos, e um toque de tomate de fresco cru, para contrastar com os ingredientes cozinhados.
Delicioso!

Usei:

Cogumelos secos "suillus luteus"
Cogumelos de Paris, frescos
Espirais
Brócolos
Tomate chucha
Queijo ralado
Azeite
Alho
Manteiga
Salsa picada
Sal e pimenta preta

Fiz assim:

Comecei por demolhar os cogumelos em água quente, durante cerca de 5m, até amolecerem, e depois deixei arrefecer. Cozi as espirais e os brócolos em água a ferver temperada de sal e um fio de azeite, e reservei. Lavei e arranjei os cogumelos de Paris, e salteei-os em azeite e alho. Juntei os cogumelos previamente demolhados, adicionei uma colher de sopa de manteiga, e temperei de sal e pimenta preta. Escorri a massa, temperei-a com um pouco de azeite e pimenta preta, e juntei-lhe os brócolos escorridos, os cogumelos salteados, e o tomate cortado em gomos. Polvilhei com um pouco de queijo ralado, e salsa picada. Envolvi tudo, e servi.



quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Bolo de Claras com Laranja, Especiarias e Papoila


No fim de semana fiz um pudim, para uma reunião de família, e sobraram-me as claras de ovo, que eram onze, no total. Aproveitei para fazer dois bolos, um com laranja e especiarias, e outro com côco e chocolate.

Para este bolo, usei:

6 claras de ovo
180 gr de açúcar
150 gr de farinha com fermento
100 gr de creme de soja para barrar
1 colher de chá de fermento
sumo e raspa de duas laranjas pequenas
1 colher de sopa de sementes de papoila
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de café de gengibre em pó

Fiz assim:

Bati o açúcar com o creme de soja. Juntei a farinha, as especiarias e o fermento, e continuei a bater. Depois, adicionei o sumo e a raspa das laranjas. Bati as claras em castelo, e envolvi naquele preparado, assim como as sementes de papoila. Levei ao forno, pré-aquecido a 170º, função ventoinha, durante 35 minutos.

O bolo ficou muito fofinho, e com um sabor muito agradável, graças à acção dos citrinos e das especiarias. Acompanhei com chá rooibos aromatizado com laranja e especiarias, para acentuar os aromas do bolo. :)




quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Mini-quiches doces de maçã


Esta receita é tão simples e rápida de fazer, como será de escrever, e como foi de comer! :)

Tinha no frigorífico uma pequena sobra de massa quebrada, e não sabia o que lhe havia de fazer. E havia duas pequenas maçãs, já bastante enrugadas, na fruteira. Nem pensei duas vezes: iria preparar uma sobremesa com estes dois ingredientes. Não tinha massa suficiente para fazer uma tarte, e não queria perder muito tempo, portanto, teria de ser algo mais simples. Lembrei-me da base que uso, habitualmente, para fazer as quiches salgadas: leite, ovos, sal e pimenta. Estava decidido: seria uma quiche doce, porque para isso bastaria trocar o sal e a pimenta por açúcar e canela!

Usei:

Massa quebrada
2 maçãs pequenas
1 ovo pequeno
100 ml de leite
2 colheres de sopa de açúcar mascavado claro
1 colher de chá de canela em pó

Fiz assim:

Forrei pequenas formas de quiche com papel vegetal e a massa quebrada, de modo a que a massa aderisse bem às forminhas. 
Descasquei as maçãs, cortei-as em cubinhos, e coloquei-os dentro dos cestinhos de massa quebrada, e depois comecei a preparar o creme: bati o ovo com o leite, adicionei o açúcar e a canela, e misturei bem. Coloquei o preparado por cima das maçãs, e levei ao forno, durante 20m. 
Servi ainda morno, e foi um sucesso! Adoro quando as pequenas coisas da vida me fazem sentir tão enormemente satisfeita! :)

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Bolinhos de Côco com Pepitas de Chocolate


Os bolinhos de côco são um daqueles doces tradicionais portugueses que todos sabem fazer. Recordo-me de comer estes docinhos maravilhosos desde sempre. A minha avó fazia-os muitas vezes, e eram presença regular nas mesas de festa, como nos aniversários e Natal. Tal como a minha avó, eu também os faço muitas vezes, e continuam a ser uma tradição na mesa de Natal. Num destes últimos dias chuvosos e mais frios, lembrei-me de que faltavam cerca de dois meses para celebrar a minha festa favorita, o Natal. E lembrei-me da minha avó, com quem já não posso partilhar a mesa , as iguarias, o convívio, o conforto, o carinho, mas cuja terna memória trago sempre comigo. Lembrei-me também da minha tia, que me ensinou a fazer estes maravilhosos montinhos dourados, e com quem já não me é possível partilhar doces, receitas, ou conversas...
A avó e a tia certamente não conceberiam que eu adicionasse chocolate aos seus coquinhos. Contudo, nesse dia deu-me para experimentar incorporar umas pepitas de chocolate à massa amarelinha e brilhante, mesmo antes de a colocar nas forminhas, e acho que os bolinhos ficaram bons, e que elas iriam gostar. :)

Usei:

200 gr de côco ralado
150 gr de açúcar
2 ovos
3 colheres de sopa de leite
1 colher de sopa de manteiga derretida
1 pitada de canela em pó
Pepitas de chocolate

Fiz assim:

Numa taça, misturei os ingredientes secos. De seguida, incorporei a manteiga, o leite e os ovos, um a um. Mexi bem, com um garfo, até obter uma massa húmida e amarela. Adicionei as pepitas de chocolate à massa e, com a ajuda de uma colher de chá, inseri pequenas quantidades de massa em pequenas forminhas de papel plissado. Coloquei as formas num tabuleiro, e levei ao forno, pré-aquecido a 180º, até que os bolinhos ficassem dourados. 

domingo, 21 de outubro de 2012

Creme de Cogumelos e Castanhas


Este creme é absolutamente delicioso, e transformou-se já numa das sopas a repetir muitas vezes neste Outono!

Usei:

Um talo de alho francês
Uma batata pequena
1 dente de alho 
Uma embalagem de cogumelos de Paris frescos
10 castanhas (usei já cozidas, que tinham sobrado de um dos meus jantares preferidos durante o Outono: castanhas cozidas, ou assadas!:)
Azeite
Sal e pimenta preta
Salsa

Fiz assim:

Descasquei a batata e as castanhas, e cortei a batata em rodelas. Lavei o alho francês e cortei-o em fatias, assim como os cogumelos. Coloquei estes ingredientes numa panela, e refoguei-os no azeite, juntamente com o alho picado. Temperei de sal, cobri tudo com água a ferver, e deixei cozinhar durante 20 minutos. Depois passei a sopa com a varinha mágica, até ficar bem cremosa. Servi com um pouco de salsa picada por cima.






terça-feira, 16 de outubro de 2012

Tarte Invertida de Pescada e Legumes


Não sou fã de peixe cozido, mas assim que vi os primeiros grelos da época, no mercado, senti uma vontade incomensurável de trazer comigo um molho deles, e de comê-los cozidos, com ovo e pescada. Assim fiz, e dessa refeição sobraram alguns grelos, pescada, ovo, batata e cenoura, ingredientes com os quais fiz esta tarte a que chamei de invertida, pois só usei a massa folhada para cobrir a tarte, e não como base. Ficou muito saboroso, e foi uma óptima forma de aproveitar as sobras.
E vocês, como aproveitam sobras de peixe e/ou legumes cozidos?

Usei:

Sobras de pescada, de grelos, ovo, batata e cenoura cozidos
1 placa de massa folhada
1 cebola
2 dentes de alho
1 folha de louro
Azeite
Sal e pimenta preta
Ovo batido para pincelar a massa folhada

Fiz assim:


Pré-aqueci o forno a 200º. Num tachinho, alourei no azeite a folha de louro, a cebola cortada em gomos, e o alho picadinho. Envolvi na cebolada o peixe desfiado e livre de espinhas, as batatas esmagadas, a cenoura cortada em cubos, o ovo cozido e os grelos picados. Temperei com uma pitada de sal e outra de pimenta preta, coloquei o preparado numa tarteira de pirex, e cobri com a massa folhada, que pincelei com ovo batido. Levei ao forno durante 20m, até a massa crescer e ficar douradinha.
Bom apetite!


domingo, 14 de outubro de 2012

Pudim de Pão e Chocolate



Adoro assistir a programas de televisão dedicados à culinária, e sou fã incondicional dos programas do Jamie Oliver, da Nigella Lawson, e do Henrique Sá-Pessoa. O canal SIC Mulher inclui na sua grelha programas deste género, de segunda a sexta-feira, mas nem sempre tenho tempo, durante a semana, para os  ver com a regularidade que gostava. A solução é gravar tudo, e ver à sexta-feira à noite, ou no fim de semana. Nesta última sexta-feira, pus em dia três dos programas da Nigella, "Na Cozinha com Nigella". Num desses programas, a Nigella fez um pudim de pão com gotas de chocolate, para aproveitar pão seco. Eu sou muito céptica em relação a receitas que envolvem pão amolecido (não consigo comer açordas, nem rabanadas, por exemplo), mas este pudim tinha chocolate, e como sou chocoholic assumida, pensei em experimentar a receita, e dar uma oportunidade ao pão ensopado. E não me arrependi! A Nigella fez a receita para sobremesa. Eu decidi fazê-la para o pequeno-almoço, e soube-me muito bem com er este pão doce, acompanhado de uma chávena de bebida de cereais quentinha!
Como quase sempre faço, ora por não ter todos os ingredientes necessários, ora por gostar de imprimir um cunho pessoal às receitas, alterei alguns dos ingredientes propostos pela Nigella. Por exemplo, ela sugere que se use leite gordo, e eu usei magro, porque não gosto de leite gordo. Também não utilizei natas, mas sim iogurte natural. E prescindi do rum, que substituí por essência de baunilha. Por fim, acrescentei canela em pó, que não faz parte da receita original, mas que conferiu um aroma maravilhoso ao pudim!

Usei:

250 gr de pão seco (usei pão integral com sementes e cereais)
100 gr de chocolate preto
50 gr de açúcar amarelo
500 ml de leite magro
1 iogurte natural
1 colher de chá de essência de baunilha
3 ovos
2 colheres de sopa de açúcar integral mascavado claro para polvilhar
Canela q.b.

Fiz assim:

Pré-aqueci o forno a 170º. Parti o pão em cubos, e dispus os cubos numa tarteira de pirex. Numa taça, verti o leite, os ovos, o açúcar, o iogurte e a baunilha, e mexi bem, com uma vara de arames, até ter obter uma mistura amarela e consistente. Verti este líquido sobre os cubos de pão e, com a ajuda de um garfo, fiz pressão sobre o pão, de modo a que absorvesse o líquido, e deixei repousar durante 10 minutos. Entretanto, cortei o chocolate em pedaços pequenos. Voltei a fazer pressão sobre o pão, e envolvi o chocolate. Polvilhei tudo com o açúcar (a Nigella aconselha açúcar demerara, mas eu não tinha, por isso, usei integral mascavado claro, do Comércio Justo, que é excelente!) e a canela, e levei ao forno, durante 30 minutos. 
Fica mesmo muito bom, graças aos pedaços de chocolate derretido, e aos aromas da baunilha e da canela. Quanto ao pão, fiquei convencida. O meu problema com o pão amolecido é a textura, que não me agrada nada. Neste caso,  quiçá por ter usado pão com cereais e sementes, a textura era crocante, e não me fez tanta impressão. Foi um excelente pequeno-almoço de fim de semana!






domingo, 7 de outubro de 2012

Tarte de Côco com Pepitas de Chocolate


Domingo de Outono, com temperatura amena, embora o sol já não esteja tão forte e quentinho como no Verão. Pensei que, face a este cenário, facilmente iria resistir à tentação habitual de domingo, de ligar o forno  e fazer um bolo. Estava enganada: assim que começou a anoitecer, a temperatura baixou, e ligar o forno para aquecer a casa pareceu-me logo uma grande ideia! :) Da minha cozinha saiu esta simples, mas muito boa, tarte de côco com pepitas de chocolate.

Usei:

Uma base de massa folhada
125 gr de côco ralado
200 gr de açúcar
3 ovos inteiros
1 colher de sopa de amido de milho (tipo maizena)
Pepitas de chocolate, ou chocolate preto granulado

Fiz assim:

Estendi a massa folhada, conservando o papel vegetal, numa tarteira. Pré-aqueci o forno a 200º. Misturei o côco com o açúcar e o amido. Adicionei os ovos e mexi bem. Envolvi as pepitas na massa, e recheei a massa folhada com este preparado. Levei ao forno, durante cerca de 25 minutos, até a massa cozinhar, e o recheio dourar.
O resultado é muito agradável, porque a camada de doce que cobre a massa é muito cremosa e húmida. Segue-se uma camada mais crocante, pela acção das pepitas de chocolate, e o contraste entre ambas as camadas funciona muito bem.



sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Scones de Iogurte e Leite de Côco



Chegou o Outono, a minha estação do ano favorita. Adoro as cores que marcam esta época: os castanhos, os vermelhos e os dourados que pintam as folhas que se vão soltando das árvores. Maravilho-me com a cor vibrante das abóboras, dos marmelos, das romãs e dos dióspiros, e delicio-me com a marmelada, a geleia de marmelo, o doce de abóbora, e as castanhas. Encantam-me os passeios nas praias semi-desertas, e sentir o cheiro a maresia. Vibro com as caminhadas entre as folhas que se amontoam nas ruas e parques. Fazer as folhas estalar sob os nossos passos é uma brincadeira que repito anualmente, desde criança!
Por cá, o frio ainda não chegou em força, mas já se vai sentindo, especialmente de manhã, e ao início da noite. E isso dá-me uma tremenda vontade de beber um chá bem quentinho. Fi-lo no passado domingo, bem outonal e chuvoso, com uns scones de iogurte e côco a acompanhar, depois de uma breve passagem por um café envidraçado, em cima da praia, no qual pude contemplar a chuva a cair, enquanto lia o jornal e bebia um chocolate quente. Perfeito!

A inspiração para os scones de iogurte veio daqui: http://paracozinhar.blogspot.pt/2009/11/scones-de-iogurte.html. Habitualmente, altero sempre as receitas que quero reproduzir, e esta não foi excepção: saíram uns delicados scones de iogurte com leite de côco!

Usei:

1 chávena e meia de farinha com fermento
1/2 chávena de côco ralado
2 colheres de sopa de açúcar amarelo
2 colheres de sopa de manteiga derretida
2 colheres de sopa de leite de côco
1 iogurte de côco

Fiz assim:

Comecei por pré-aquecer o forno, a 180º. Depois, foi tempo de amolecer a manteiga, com a preciosa e rápida ajuda prestada pelo micro-ondas. Juntei à manteiga os restantes ingredientes, e mexi muito bem, com a ajuda de uma colher de pau. Coloquei um tapete de silicone no fundo de um tabuleiro, e nele dispus pequenas colheradas de massa, deixando um espaço livre entre elas, de modo a que os scones não ficassem "colados" uns nos outros. Polvilhei alguns dos scones com um pouco de canela em pó. Levei ao forno, durante 15 minutos, e comi-os bem quentinhos, com uma chávena de chá a fumegar. 

Desejo a todas e todos um Outono muito feliz! :)




sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Tarte de Curgete com Alfarroba, Mel e Café




Este ano, ofereceram-me duas curgetes gigantes. Tão grandes, que mais parecem abóboras! Congelei uma grande parte, para ir consumindo em sopas e estufados. A restante tem sido usada em salteados e saladas. Mas o primeiro destino que lhe dei foi esta tarte. Apesar de já ter comido deliciosos bolos de chocolate com curgete, as minhas duas tentativas anteriores de fazer bolos com curgete não foram muito bem sucedidas. Os bolos ficaram com uma textura muito mole, como se a massa não tivesse sido cozinhada. Porém, achei que devia tentar novamente, e pensei em fazer o tal bolo de curgete  e chocolate. Mas, olhando para a estante onde repousam os livros de culinária, rapidamente mudei de ideias: iria fazer um bolo de curgete com alfarroba. O meu livro de receitas com farinha de alfarroba assim o ditou, embora a receita que apresento não seja retirada de lá. Do livro, obtive a ideia de juntar  a alfarroba com o mel, o café e a canela. E foi um casamento feliz!  :)
Ainda bem que não desisti de utilizar a curgete em receitas doces, porque esta tarte ficou mesmo muito boa! Muito cremosa, muito fresca, e doce q.b. Adorei!
Outra coisa que adoro, é o Outono. A minha estação do ano favorita chega hoje. Dou-lhe as boas vindas com esta tarte!

Usei:

300 gr de curgete, descascada
250 gr de farinha com fermento
200 gr de açúcar amarelo
50 gr de farinha de alfarroba
100 ml de leite de soja
100 gr de manteiga
1 colher de sopa de pó de café solúvel
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de café de essência de baunilha
2 colheres de sopa de sementes de linhaça 
2 colheres de sopa de mel
2 ovos
Açúcar em pó para polvilhar

Fiz assim:

Coloquei a curgete fatiada no processador, e triturei até ficar bem ralada. Juntei o leite de soja, o mel, os ovos, e a manteiga em pedaços, e triturei novamente. Adicionei o açúcar e a baunilha, e dei mais uns toques no processador, a uma velocidade alta, para misturar bem todos os ingredientes. Misturei o café, a canela, as sementes e a alfarroba à farinha de trigo, e juntei este preparado ao creme. Depois mexi bem,com uma espátula, e coloquei o creme numa forma de  tarte, em alumínio, previamente untada com óleo e polvilhada com farinha de alfarroba (usei esta farinha para polvilhar a forma, com o intuito de evitar que a tarte  ficasse "esbranquiçada" por fora e escura por dentro!:), e levei ao forno, pré-aquecido a 180º, durante 50 minutos. 
Retirei a tarte do forno, e deixei arrefecer. Por fim, polvilhei-a com açúcar em pó. Parecia uma enorme broa de mel, embora o sabor e a textura sejam muito diferentes. :)




sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Salada de Quinoa com Tomate e Delícias do Mar


A quinoa é um cereal que me agrada bastante, tanto para rechear legumes, como para fazer saladas. Esta salada é muito simples, com poucos ingredientes, mas muito saborosa. Ideal para o regresso de um dia de praia, por exemplo. Enquanto se toma banho, a quinoa e o feijão verde cozem, e as delícias do mar descongelam. E depois do banho, é só cortar os tomatinhos e o pepino, juntar todos os ingredientes, temperar, e comer! :)

Usei:

1 chávena de quinoa
2 chávenas de água a ferver
Metade de um pepino pequeno
6 tomates cereja
6 delícias do mar
Feijão verde
1 pitada de sal
Azeite e vinagre

Fiz assim:

Retirei as delícias do mar do congelador, e deixei descongelar. Cozi a quinoa e o feijão verde cortado na água a ferver, temperada de sal, durante 10 minutos. Escorri a água da cozedura, soltei os grãos de quinoa, com a ajuda de um garfo, e deixei arrefecer, enquanto preparava os restantes ingredientes da salada. Lavei os tomates cereja, cortei-os ao meio, e coloquei-os no prato de servir. Cortei o pepino e as delícias em quadrados, e juntei-os aos tomatinhos. Adicionei a quinoa e o feijão verde, temperei de azeite e vinagre, misturei tudo, e ficou pronto!

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Salada de Cenoura e Morangos com Queijo de Cabra


Final deste Verão:  dias mais curtos, o Outono a chegar, e o calor a teimar em ficar. Continua a apetecer-me salada. Recentemente, saiu esta.

Usei:

1 cenoura em fitas largas, como se fosse tagliatele
4 morangos, lavados e cortados
Canónigos
Azeitonas
Queijo de cabra, tipo Palhais
Nozes
Sal e pimenta
Azeite e vinagre balsâmico
Cominhos
Sumo de limão

Fiz assim:

Lavei bem os morangos, e cortei-os em fatias. Raspei a casca à cenoura e, com um cortador, fiz as fitas, que temperei com sal refinado, sumo de limão, e uma pitada de cominhos. Lavei e enxuguei os canónigos. Parti o queijo em quadrados pequenos. Descasquei as nozes, e parti-as em metades. Juntei todos os ingredientes numa taça, temperei de sal, pimenta, azeite e vinagre, e servi.





segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Batido de Melancia com Hortelã



Melancia e hortelã: para mim, uma combinação perfeita! Já tinha experimentado em saladas, e agora testei neste batido. Ficou muito bom, extremamente refrescante! Fi-lo para o pequeno-almoço, para começar o dia de uma forma leve e deliciosa. :)

Usei:

1 fatia de melancia vermelha, sem sementes, descascada, e acabada de sair do frigorífico
1 copo de leite magro bem fresco
2 folhas de hortelã grandes

Fiz assim:

Parti a melancia em quadrados, e coloquei num copo misturador. Juntei a hortelã lavada e cortada em pedaços, e cobri tudo com o leite. Triturei bem, e bebi logo de seguida.





sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Bacalhau com Natas


Bacalhau com natas? É um clássico! Julgo que todos o fazem, e suspeito que cada um tem a sua versão. Esta é a minha...

Usei:

1 embalagem de migas de bacalhau
4 batatas médias
1 curgete média
1 cebola grande
3 dentes de alho grandes
1 folha de louro
1 frasco de creme de soja para culinária
1 colher de sopa de farinha maizena
1 colher de sopa de mostarda de Dijon
Azeite
Sal e pimenta
Alho em pó
Noz-moscada

Fiz assim:

Demolhei as migas de bacalhau, mudando a água por diversas vezes, até que o sal desaparecesse. Descasquei as batatas e a curgete, e cortei-as em palitos não muito finos (optei por usar curgete por duas razões: primeiro, porque tenho imensas em casa; e também porque substituem muito bem a batata, ninguém notou que havia curgete e batata... :). Lavei e sequei as batatas e a curgete, e fritei-as no azeite, a que juntei uma pitada de sal, e um dente de alho esmagado, com a casca (deixei a casca para que o alho não carbonizasse durante a fritura). Assim que as batatas ficaram douradinhas, retirei-as da frigideira, e escorri-as em papel absorvente. No azeite em que fritaram as batatas, alourei a cebola e os restantes dentes de alho, cortados em rodelas. Adicionei o louro, e juntei o bacalhau, bem escorrido, à cebolada, e refoguei durante dois minutos. De seguida, coloquei  a mistura de bacalhau, cebola e azeite num pirex grande, e juntei-lhe a mistura de batatas e curgete. Numa taça própria para micro-ondas, envolvi a maizena no creme de soja, e juntei-lhe a mostarda, uma pitada de sal e outra de pimenta. Levei ao micro-ondas, em potência média, durante 1 minuto. Depois envolvi este creme no bacalhau. Polvilhei tudo com um pouco de alho em pó e de noz-moscada, e mexi ligeiramente, para que os temperos se espalhassem uniformemente, e levei ao forno, pré-aquecido a 210º, durante 25 minutos.
Hum, que delícia! :)

sábado, 1 de setembro de 2012

Wraps de Filete de Cavala com Maionese de Laranja e Ervas


Há tempos, assisti a um episódio do "Ingrediente Secreto" dedicado às conservas. Ora eu sou grande fã de conservas, pois abrindo latas e latinhas, rapidamente se compõe uma refeição ligeira, em dias com menos tempo disponível para cozinhar, ou quando a vontade de fazê-lo é quase nula. Por isso, resolvi experimentar uma das propostas do chef Henrique Sá Pessoa, a sandes de cavala. Não fiz uma sandes, mas sim um wrap, e efectuei algumas alterações à sugestão do chef. Mas mantive a maionese, que é divinal!

Usei:

1 tortilha de milho, de compra
Folhas de alface
Metade de uma lata de filetes de cavala
1/2 cebola roxa
Tomate
Sal e pimenta
4 colheres de sopa de maionese
Raspa e sumo de 1/2 laranja
Um punhado de salsa
2 folhas de manjericão

Fiz assim:

No micro-ondas, aqueci a tortilha, a temperatura média, durante 1 minuto, e reservei. Num recipiente alto, introduzi a maionese, as ervas e a raspa e sumo de laranja. Triturei tudo com a varinha mágica. Barrei a tortilha com esta maionese. Escorri os filetes de cavala, e dispus na tortilha. Por cima, acondicionei a alface, e a cebola picada. Enrolei, prendi com um palito, e cortei a meio. Servi com rodelas de tomate. Delicioso!


sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Creme de Abóbora com Canela e Malagueta



A abóbora e a as curgetes invadiram a minha cozinha, e tem sido um verdadeiro desafio encontrar formas diferentes de consumi-las. A mais tradicional tem sido a sopa. Desta vez, um creme de abóbora  enriquecido com o aroma quente da canela e da malagueta. Gostei muito!

Usei:

2 fatias de abóbora descascada e limpa de fios e sementes
1 cebola
1 malagueta fresca, limpa de sementes
1 pau de canela
Sal e azeite
Água

Fiz assim:

Refoguei a cebola e a abóbora no azeite, durante 2 minutos, depois de descascadas, lavadas e cortadas em pedaços. Temperei de sal, e adicionei o pau de canela e a malagueta, cortada em pequenos pedaços. Cobri com água a ferver, e deixei cozer, até a abóbora ficar macia. Retirei o pau de canela, e triturei a sopa, até obter um creme. Servi com hastes de cebolinho picado. 


quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Salada de Melancia com Pepino e Queijo de Cabra



Mais uma salada com fruta e legumes de Verão. O travo doce da melancia conjuga-se bem com o sabor forte do queijo e a frescura do pepino. A hortelã e o limão fizeram o resto. É uma óptima salada para servir como entrada.

Usei:

Uma fatia de melancia
1/2 pepino
1/3 de queijo de cabra, tipo Palhais
Azeitonas pretas
Hortelã
Limão
Sal, azeite e pimenta preta

Fiz assim:

Descasquei a fatia de melancia, e parti-a em pedaços pequenos. Retirei uma parte da casca ao pepino, e cortei-o em fatias finas. Temperei o pepino com sal refinado, e melancia com sumo e raspa de meio limão, uma pitada de sal refinado, e pimenta preta. Salpiquei com folhas de hortelã bem picadinhas, e dispus a melancia e o pepino no prato. Adicionei o queijo cortado em cubos, e as azeitonas.
Reguei com um fio de azeite, e já está! Fica pronta em 5 minutos!


segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Quiche Cremosa de Salmão e Couve-Flor



Havia um filete de salmão grelhado que tinha sobrado. Havia uma placa de massa quebrada pronta a ser usada. E também havia uma couve-flor que precisava de ser consumida com urgência. Eu nem sequer gosto de couve-flor, mas tinha comprado uma, para experimentar numa receita de puré de batata que vi noutros blogues. Mas, devido ao calor, não me apetecia muito estar a fazer o puré: o tempo quente deixa-me indolente, e sem vontade de me aventurar em preparações culinárias que exigem muito tempo. Por essa razão, a couve-flor foi envelhecendo numa gaveta do frigorífico. O melhor destino que lhe consegui dar foi esta tarte salgada cremosa... E deliciosa!

Usei:

1 filete de salmão grelhado, livre de espinhas e peles, e desfiado
1 couve-flor pequena
1 placa de massa quebrada
1 frasco de creme culinário de soja
1 ovo
1 colher de sopa de farinha maizena
Sal e pimenta
Noz moscada, estragão seco e cebolinho fresco

Fiz assim:

Cozi a couve-flor, depois de lavada e separada em raminhos, em água temperada de sal. Depois de cozida, escorri a água, e triturei a couve-flor, com a ajuda do processador. Juntei-lhe os pedaços de salmão desfiado e a farinha, e misturei bem. Misturei o creme de soja com o ovo, uma pitada de sal e pimenta, de noz moscada, e uma colher de café de estragão seco. Cortei do meu vaso algumas hastes de cebolinho, piquei-as, e adicionei-as ao creme de soja. Depois, numa taça, juntei as duas misturas, o creme de salmão e couve-flor e o creme de soja com ovo, especiarias e ervas. 
Desenrolei a placa de massa quebrada, e com ela cobri uma forma para tartes, mantendo o papel vegetal que envolve a massa. Recheei a massa com o creme, e levei ao forno, pré-aquecido a 190º, durante 40 minutos. 
Nunca pensei que resultasse tão bem! Não se sentia o sabor da couve-flor, e ainda bem! :)




sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Bolo de Maçã, Côco e Especiarias



Na semana passada, houve um dia de chuva e ventos intensos. Mais parecia Inverno do que Verão! E de que é que mais gostamos no Inverno? De ligar o forno, para aquecer a casa, e fazer bolos! O tempo "invernoso de Verão" foi o mote para este aromático bolinho, assim como as três pequenas maçãs enrugadas que repousavam na fruteira. 

Usei:

3 maçãs pequenas
3 chávenas de farinha com fermento
2 chávenas de açúcar amarelo
1/2 chávena de côco ralado
1 chávena de óleo de girassol
3 ovos
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de chá de mistura moída de especiarias para pão doce (cardamomo, erva doce, cravinho, sementes de coentro, noz moscada)
1 colher de chá de bicarbonato de sódio


Fiz assim:

Comecei por aquecer o forno a 180º. Depois, descasquei as maçãs e cortei-as em pedaços. Triturei-as no processador, até ficarem em polpa.  Juntei os ovos e o óleo, e voltei a triturar. Incorporei o açúcar e o côco, e triturei até que a mistura húmida absorvesse os ingredientes secos. Envolvi as especiarias na farinha, e fui adicionando à mistura que repousava no copo do processador. Acomodei o creme numa forma de silicone com buraco, e levei ao forno, durante 50 minutos. 
O bolo cresceu imenso, e ficou muito fofo, húmido, e aromático!





quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Água Refrescante de Pepino



No mês de Maio, passei uns dias no Eurostars Rio Douro, um hotel e SPA muito agradável, com uma vista deslumbrante para o Douro. No SPA, surpreendeu-me uma bebida muito refrescante que era servida a toda a hora: água de pepino. Água de pepino? Mas então que é feito do tradicional refresco de limão? Para mim, foi ultrapassado por esta pouco convencional bebida com pepino. 
É mesmo revigorante, mas suspeito que apenas será apreciada por quem goste de pepino. É que, apesar de o sabor a pepino, neste refresco, ser muito suave, está lá...

Usei:

1 litro de água
8 fatias finas de pepino
12 pedras de gelo

Fiz assim:

Num jarro, coloquei a água e o gelo. Lavei bem um pedaço de pepino, e cortei-o em 8 rodelas, muito finas. Deixei repousar durante 5 minutos, e servi.



segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Salada com Meloa e Camarão Selvagem



Agrada-me muito poder combinar fruta com vegetais. E no Verão, a oferta, quer de uns, quer de outros, é bem generosa. Porque não juntar tudo numa bela salada?

Usei:

4 camarões selvagens
Metade de uma meloa pequena
Tomate cereja de diversas cores (roxos, amarelos e vermelhos)
Folhas de alface
Folhas de chicória
Salsa Picada
Azeite, Sal e Vinagre
1 malagueta seca
Molho cocktail

Fiz assim:

Comecei por cozer os camarões em água temperada com sal e a malagueta. Para tal, deixei a água ferver, inseri os camarões, esperei que a água voltasse a ferver, e deixei cozinhar durante 5 minutos. Depois escorri a água, e levei os camarões ao frigorífico.
Entretanto, lavei a alface, os tomatinhos, e a chicória. Cortei as folhas em pedaços, e os tomates maiores em metades. Dispus as folhas num prato, e temperei-as de sal, azeite e um pouco de vinagre. Juntei os tomatinhos. Descasquei a meloa e os camarões, e adicionei-os à salada. Coloquei um bocadinho de molho cocktail no centro do prato, e salpiquei com salsa picada.
Humm, tanto sabor a Verão! :)




segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Refresco de Xarope de Guaraná com Hortelã




Para os dias quentes (ou não...) de Agosto, fica a sugestão de uma bebida simples, pouco doce, e refrescante.

Usei:

2 colheres de sopa de xarope de guaraná (à venda nas lojas de Comércio Justo)
1 litro de água com gás
10 cubos de gelo
Folhas de hortelã

Fiz assim:

Coloquei o xarope de guaraná num jarro. Aos poucos, juntei a água, mexendo de modo a fundi-la no xarope. Por fim, adicionei o gelo e a hortelã. E já está! :)

domingo, 12 de agosto de 2012

Mousse de Chocolate


Chocolate, mais uma vez. Desta feita, numa das minhas formas favoritas: mousse. Adoro!
Como gosto que o sabor do chocolate predomine sobre os restantes, não sou apologista de adicionar nem muito açúcar, nem muita manteiga, ou ovos. Tudo em nome do chocolate! :)

Para 4 taças, usei:

100 gr de chocolate preto para culinária, com 50% de cacau
3 ovos
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de manteiga

Fiz assim:

Numa taça, derreti, no micro-ondas, o chocolate com a manteiga, a temperatura média, durante 1 minuto. Misturei bem, e deixei arrefecer. Entretanto, separei as gemas das claras, colocando-as em taças separadas. Adicionei uma das colheres de açúcar às gemas e bati com uma vara de arames, até obter um creme esbranquiçado. Bati as claras em castelo, juntei o restante açúcar, e bati durante mais uns instantes, até incorporar o açúcar. Juntei o chocolate ao creme de gemas, e mexi até que a mistura se fundisse num tom castanho uniforme. Por fim, envolvi suavemente as claras no creme. Acondicionei em taças, e levei ao frigorífico, até endurecer um pouco. 



domingo, 5 de agosto de 2012

Sobremesa Rápida de Morangos e Gelado com Creme de Chocolate


No Verão, as sobremesas querem-se frescas e rápidas, porque o sol e o mar aguardam a nossa visita, e urge lá chegar. Esta é uma sobremesa muito simples, que se prepara em menos de 5 minutos. E é deliciosamente tentadora, pois combina fruta, gelado e chocolate.

Usei:

1 bola de gelado de nata
6 morangos pequenos
2 folhas de hortelã
1 colher de sopa, não muito cheia, de creme de chocolate com avelãs (tipo Nutella)

Fiz assim:

Lavei e cortei os morangos em pedaços, que dispus no fundo de uma taça de gelado. Envolvi a hortelã, bem picada, com os morangos. Por cima dos morangos, coloquei a bola de gelado de nata, e cobri com    o creme de chocolate com avelãs. 
À medida que o gelado ia derretendo, ficava mais cremoso, e fundia-se com os morangos e com o creme de chocolate, formando uma textura aveludada. 
Adorei!



sábado, 28 de julho de 2012

Tarte de Trufas de Chocolate Preto e Menta


O Verão tem um pequeno inconveniente: o chocolate derrete com muita facilidade! Foi o que aconteceu a uma caixainha de trufas que não estava guardada no frigorífico. As trufas ficaram todas "coladas" umas nas outras. A solução que encontrei para torná-las novamente "comestíveis" foi transformá-las em tarte... E foi uma excelente ideia, porque a tarte "desapareceu" num ápice! :)

Usei:

1 base de massa quebrada
4 colheres de sopa de farinha maizena
1 pacote de preparado para mousse de chocolate preto
10 trufas de chocolate preto com aroma a menta
3 colheres de sopa de açúcar mascavado
1/2 litro de leite de soja

Fiz assim:

Forrei uma tarteira com a massa quebrada, piquei a massa com um garfo, cobri com feijão seco, e levei ao forno, a 180º, durante 25 minutos, até que a massa cozesse e ficasse dourada. Entretanto, num tachinho, misturei o conteúdo do pacote de preparado para mousse de chocolate com a farinha e o açúcar, e adicionei o leite, mexendo muito bem, até obter um creme sem grumos. Levei a lume brando, mexendo sempre, até que o creme engrossasse. Por fim, juntei as trufas ao creme, até que derretessem e se incorporassem na massa. Retirei a massa quebrada do forno, removi o feijão, e recheei-a com o creme de chocolate.
Depois foi só deixar arrefecer, até que o creme solidificasse. Servi com colheradas de iogurte grego natural açucarado, mas julgo que com natas batidas, ou gelado de nata, também deve ficar bem... Porque o chocolate vai bem com (quase) tudo! :)





quarta-feira, 18 de julho de 2012

Creme de Batata Doce e Lentilhas Vermelhas com Leite de Côco


Gosto muito de sopa. Durante o tempo frio, prefiro-as com couves em pedaços a boiar sobre o puré que lhes serve de base. No tempo mais quente, só consigo consumir cremes.
Este creme é muito delicado, como se fosse feito de veludo. Agradou-me sobejamente a aliança entre o sabor adocicado do leite de côco e a frescura do limão. Dois aromas a cheirar a Verão numa sopa, porque no Verão também há sopa.

Usei:

2 batatas doces de tamanho médio
1 cenoura de tamanho médio
1 talo de alho francês
1 pequeno pedaço de gengibre
2 colheres de sopa de lentilhas vermelhas
Água
1/2 lata de leite de côco
2 colheres de sopa de sumo de limão
2 colheres de sopa de azeite
Sal, pimenta preta
1/2 colher de sobremesa de caril
1/2 colher de café de cominhos

Fiz assim:

Descasquei e lavei os legumes. Cortei-os em rodelas finas. Aqueci o azeite, numa panela, e nele refoguei o alho francês com o gengibre picado. Adicionei as batatas, as lentilhas e a cenoura, cobri com água a ferver e o leite de côco. Temperei de sal, e deixei cozer até que os legumes ficassem macios. Triturei coma ajuda da varinha mágica, até que a puré ficasse bem cremoso. Para conferir mais sabor, adicionei os cominhos, uma pitada de pimenta preta, e o sumo de limão.

Bom apetite!




segunda-feira, 9 de julho de 2012

Bolo de Cerejas e Côco com Pepitas de Chocolate



Estão a ver o Monstro das Bolachas? Agora imaginem-no com cerejas. Sou eu! :) Adoro cerejas, adoooooro! São o meu fruto favorito. Entre Maio e Junho, raramente compro outra fruta que não a bela da cereja, vermelhinha ou bem amarelinha, rija, e muito saborosa. Este ano comi só 9 kg... :)
E aventurei-me a experimentar cerejas num bolo, aliando-as a uma das minhas outras predilecções, o chocolate. Mal posso esperar para repetir este bolo!

Usei:

20 cerejas, sem caroço e cortadas em pedaços pequenos
8 quadrados de chocolate preto, para culinária, partido em pedaços pequenos
1 iogurte natural açucarado
4 ovos
2 copos de iogurte de açúcar amarelo
3 copos de iogurte de farinha com fermento
2 colheres de sopa de côco ralado
2/3 copo de iogurte de óleo

Para a cobertura:
1/2 tablete de chocolate preto para culinária
4 colheres de sopa de leite magro
Cerejas para enfeitar

Fiz assim:

Comecei por descaroçar as cerejas e cortá-las em pedaços. Piquei o chocolate, com a ajuda de uma faca afiada. Numa taça, bati as gemas com o açúcar e o iogurte, até que se formasse um aveludado creme amarelo claro. Juntei o óleo, as cerejas cortadinhas, o côco  e o chocolate picado. Numa outra taça, bati as claras em castelo, e fui adicionando colheradas à mistura, intercalando com a farinha, até que tudo ficasse bem envolvido.
Levei ao forno pré-aquecido a 180º, numa forma sem buraco, durante 40 minutos. Depois de cozido, deixei arrefecer um pouco, antes de o cobrir com o creme de chocolate que preparei assim: parti o chocolate em pedaços para uma tacinha, adicionei o leite, e levei a derreter no micro-ondas. Cobri o bolo com este creme, e enfeitei com algumas cerejas reservadas para o efeito.
Hummm... :)






sexta-feira, 6 de julho de 2012

Salada de Verão "Fumada"


O Verão sabe a saladas, a fruta e a gelados. Nesta época, alimento-me quase exclusivamente dos tomates vermelhinhos, dos pimentos de todas as cores, das melancias maduras, das ameixas amarelinhas, das meloas, dos pêssegos, do melão, dos pepinos. E porque não juntar tudo numa maravilhosa salada?

Usei:

Folhas de alface verde e roxa
Tomate cereja cortados ao meio
Rodelas finas de pepino
Croutons de alho
Nozes
Tiras finas de pimento vermelho
Azeitonas pretas
Quadradinhos de meloa
Quadradinhos de melancia vermelha e de melancia amarela
2 ovinhos de codorniz cozidos
Salmão fumado (também já fiz com tofu fumado, e fica muito bom; mas o salmão fumado é um "guilty pleasure"...  costumo dizer que, se não existissem latinhas de atum e salmão fumado, facilmente seria vegetariana!)
Sementes de linhaça

Para o molho:
2 colheres de chá de azeite
1 pitada de sal refinado e de pimenta preta
1 colher de café de vinagre balsâmico
1colher de café de flocos de levedura de cerveja


Fiz assim:

Lavei e arranjei todos os vegetais. Descasquei e cortei a fruta, assim como os ovinhos. Coloquei todos os ingredientes num prato fundo. Numa chávena, misturei bem todos os ingredientes do molho, e verti-o sobre a salada. Salpiquei com sementes de sésamo, e mais um pouco de pimenta preta.

Bom apetite!

domingo, 1 de julho de 2012

Tofu Estufado com Molho Leve de Caril



Não aprecio molho de caril cujo sabor seja muito intenso. Não sou capaz de comer caril num restaurante indiano, por exemplo. Mas aprecio caril quando usado com moderação. Gosto de incorporá-lo como tempero em molhos e sopas. Como neste estufado de tofu.

Usei:

100 gr de tofu
Meia cebola picada
1 dente de alho picado
1 colher de sobremesa de molho de soja
2 colheres de sopa de polpa de tomate
1 colher de café de malagueta moída
1/2 colher de café de caril em pó
1 pequena lata de cogumelos
2 tiras de pimento vermelho
100 ml de leite de côco
Azeite

Fiz assim:

Num tachinho, aqueci o azeite, a que juntei a cebola e o alho. Cortei o tofu em cubos e temperei-o com o molho de soja. Lavei e cortei os cogumelos em fatias, e o pimento em quadradinhos. Juntei os cogumelos, o pimento e o tofu ao refogado. Temperei com a polpa de tomate, a malagueta e o caril.  Deixei cozinhar durante 10 minutos, em lume brando. Adicionei o leite de côco, envolvi bem, até que fervesse. Servi com arroz basmati.





domingo, 17 de junho de 2012

Bolo de Chocolate com Cobertura e Recheio de Brigadeiro


Este foi o bolo de aniversário que decidi fazer para a minha chocoholic favorita, no seu 25.º aniversário. Afinal, não é sempre que celebramos Bodas de Prata de nós próprios! :)
Julgo que foi uma aposta vencedora. Bolo de chocolate de textura húmida, recheio e cobertura de brigadeiro, e granulado de chocolate. Delicioso!


Usei:

3 chávenas de farinha com fermento
2 chávenas de açúcar amarelo
1 chávena de chocolate em pó
1/2 chávena de óleo vegetal
1 chávena de água a ferver
4 ovos
1/2 colher de café de aroma de baunilha
1 colher de chá de fermento
1 pitada de piri-piri moído

Para o recheio e cobertura:

1 lata de leite condensado cozido
2 colheres de sopa de cacau em pó
1 colher de sopa de manteiga

Fiz assim:

Separei as gemas das claras, e bati as primeiras com o açúcar. Juntei o chocolate em pó e o piri-piri, e continuei a bater. Verti o óleo, a água a ferver, e o aroma de baunilha, envolvendo bem na mistura, até que borbulhasse. Por fim, envolvi, altrernadamente, a farinha, o fermento, e as claras batidas em castelo.
Levei ao forno, pré-aquecido a 180º, numa forma sem buraco, untada de manteiga e polvilhada com farinha. Deixei cozer durante 40 minutos. Retirei do forno, desenformei, e com uma faca grande e afiada, dividi o bolo em duas metades. Apesar de ter feito esta divisão com o bolo ainda quente, só separei as metades depois do bolo ter arrefecido. Enquanto isso não acontecia, tratei do recheio e da cobertura. Misturei o conteúdo da lata de leite condensado cozido com a manteiga e o cacau, até obter um preparado liso e homogéneo. Como usei leite condensado já cozido, não foi necessário recorrer ao fogão para preparar o creme de brigadeiro, o que facilitou o processo, e me permitiu ganhar tempo.
Barrei uma das metades do bolo com uma parte deste creme, e coloquei a outra metade do bolo por cima, unindo-o novamente num só bolo. Com o restante creme, cobri todo o bolo. Finalizei com granulado de chocolate.


E depois, foi tempo de celebrar! Parabéns, priminha, sê muuuuuito feliz!




segunda-feira, 4 de junho de 2012

Queques de Chocolate com Cobertura de Iogurte e Queijo Creme




A Inês fez um ano. E a mãe da Inês pediu-me para fazer queques para a festa de aniversário. Aqui fica o registo do meu contributo para a festa!


Usei:
 
Queques: 

200 gr de farinha com fermento

125 gr de açúcar

75 gr de chocolate em pó

1 colher de chá de fermento em pó

250 ml de leite de soja com chocolate

100 ml de óleo de vegetal

2 ovos


Cobertura:

 Queijo creme natural

Açúcar em pó

Iogurte grego natural açucarado

Aroma de baunilha

Corante alimentar rosa

Granulado de chocolate colorido e bolinhas prateadas comestíveis, para decorar



Fiz assim:

Comecei por ligar o forno, a 180º.
Acondicionei os ingredientes secos numa taça, e misturei-os bem. Depois fui incorporando os líquidos, por esta ordem: os ovos, o leite, e o óleo. Coloquei colheradas da mistura em forminhas de papel plissado, sem encher demasiado, para que o preparado não transbordasse. Levei ao forno, durante 20 minutos. Depois de prontos, deixei os queques arrefecerem, enquanto preparava a cobertura. Misturei 3 colheres de sopa de queijo creme com 3 colheres de iogurte grego natural, 1 colher de chá de açúcar em pó, 1 colher de café de aroma de baunilha. Numa parte, coloquei umas gotas de corante rosa. Mexi com uma vara de arames, até a mistura ficar homogénea e rosa. Depois foi só cobrir os queques com uma colherada generosa desta mistura, e enfeitar com o granulado de chocolate ou as bolinhas prateadas.

Ficaram deliciosos! Leves, frescos, e muito achocolatados, como eu gosto! J










segunda-feira, 21 de maio de 2012

Pão de Banana e Manteiga de Amendoim


Era sexta-feira à noite, e não havia pão para o brunch de sábado. Ora eu já sabia de antemão que não me iria apetecer acordar mais cedo, no sábado, para ir comprar pão. A solução passava por fazer pão em casa. Havia uma banana muito madura na fruteira. E um grande frasco de manteiga de amendoim. E assim nasceu um pão diferente.

Usei:

2 chávenas de leite de soja morno
1 colher de sopa de óleo de amendoim
2 colheres de sopa de açúcar mascavado claro
1 colher de chá de sal refinado
2 chávenas de farinha com fermento
1 chávena de farinha integral
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de café de canela
1 banana madura
5 colheres de sopa bem cheias de manteiga de amendoim


Fiz assim:
Pré-aqueci o forno a 180º, na função ventoínha. Numa taça, misturei o óleo com o leite de soja e o açúcar. Esmaguei a banana com a manteiga de amendoim, e adicionei à mistura. Depois, fui incorporando as farinhas, o sal, o bicarbonato e a canela. Mexi bem, com uma colher de pau. Coloquei a mistura numa forma de silicone para bolo inglês, e levei ao forno, durante 35 minutos.
Gostei de comê-lo barrado com manteiga de amendoim, para intensificar o sabor a amendoim. :)

domingo, 20 de maio de 2012

Quiche de Queijo Fresco com Cogumelos e Espinafres


Creio já ter escrito vezes suficientes sobre as razões que me levam a ser grande apreciadora de quiches. Mas não me recordo se alguma vez mencionei a sua maravilhosa função de "limpa-frigorífico". Há massa quebrada com um prazo curto, dois queijos frescos também com o prazo a findar, uns cogumelos frescos e umas folhas de espinafre esquecidos. Solução: quiche, pois claro!
E como é bom ter uma quiche pronta a comer durante o fim de semana, para enganar a fome quando a vontade de sair, de descansar e divertir é mais forte que a de cozinhar!

Usei:
1 base de massa quebrada
2 queijos frescos magros
folhas de espinafre
2 chapéus de cogumelos de Paris (os que tinha eram muito grandes!)
1/2 pimento vermelho
2 ovos
1 chávena de leite de soja
Azeite
Sal, alho, noz moscada, pimenta

Fiz assim:

Pré-aqueci o forno a 180º. Desenrolei a massa sobre a tarteira, mantendo o papel vegetal para forrar a forma. Piquei a massa com um garfo, e reservei. Lavei as folhas de espinafre, o pimento e os cogumelos, cortei em pedaços, e salteei no azeite, com um dente de alho picado. Temperei com sal, noz moscada, e pimenta preta. Esmaguei os queijos com um garfo, e juntei à mistura de cogumelos e espinafres. Coloquei o preparado sobre a massa, a que juntei os ovos batidos com o leite de soja.
Levei a quiche ao forno, por cerca de 30 minutos, e passei o fim de semana a saboreá-la!